Giba, do Gibex Sossegado, conta como escolhe suas ações por análise técnica

Tempo de leitura

3 min

Tamanho da fonte

Aa

Aa

Aa

Giba, analista técnico da XP, ensina como escolhe suas ações e revela quais são suas apostas do momento em evento realizado pela iHub Investimentos

Em evento organizado pela IHub Investimentos, escritório credenciado à XP, o analista técnico Gilberto Coelho, ou Giba, como é mais conhecido no mercado, revelou seu critério na hora de comprar ou vender uma ação.

No mercado desde 1989, Giba ganhou notoriedade em 2017 quando sua carteira recomendada de ações foi a melhor do Brasil para aquele ano. Desde então, sua carteira mensal traz retornos consistentes acima do Ibovespa conforme tabela apresentada por ele.

Abaixo, conheça um pouco mais da carteira de Gilberto Coelho:

Carteira mensal Gilberto Coelho

Praticamente desde o seu primeiro dia no mercado financeiro ele teve contato com a análise gráfica e desde então não se separaram. Um dos motivos que Giba atribui a isso é o fato das operações serem rápidas, com estratégias bem definidas e dinâmicas.

Frases como, “Me chamem pra jogar par ou ímpar, não me chame para jogar xadrez”, ou “quanto mais eu conheço de análise fundamentalista mais eu prefiro a análise técnica”, evidenciam a preferência do analista por inserções rápidas e com estratégias bem definidas.

Giba explica que escolhe suas ações dentre as que compõem o índice EBX100. O EBX100 para quem não conhece é um índice composto pelas 100 empresas mais negociadas da B3, um dos motivos principais para isso é que, assim, o investidor terá maior liquidez para entrar e sair das suas recomendações sem grandes problemas.

Assista a live completa abaixo:

Por definição, sua carteira é composta por 10 ações, isso tem seu lado bom, mas também o lado ruim.

O lado bom é que em caso de uma das 10 empresas falirem, por exemplo, apenas 10% da carteira seria comprometida, “dói, mas não quebra”, segundo Giba.  O lado ruim é que em um cenário de stress ele não pode zerar a carteira e ficar fora do mercado, pois, ela sempre estará comprada em 10 ações.

Gilberto Coelho revela que sua estratégia é bem definida e que não muda, independente do cenário.

Lembrando que seu horizonte é o IBX100, Giba desenvolveu um sistema que aponta quais empresas estão com seus preços operando acima das médias: exponencial de 21 dias e simples de 200 dias. Oito das dez ações da carteira virão deste primeiro filtro.

Para a escolha das outras duas ações, usando as palavras do analista, ele gosta de adicionar uma pimentinha. Em casos como temos visto uma queda acentuada das varejistas, MGLU3, VIIA3, AMER3, por exemplo, ele analisa caso a caso e mesmo operando abaixo das médias pode sugerir uma compra.

Durante o evento, Giba foi perguntado sobre algumas ações, como Petrobrás, o qual o analista se diz otimista e seu “call” é de compra. Quanto à Vale ele a possui em sua carteira, porém, atento. Se o papel cair abaixo dos R$70,00 será sinal de venda.

Por fim, segundo o analista, o índice de acerto da metodologia de análise técnica é de 60%. Portanto, o investidor precisa refletir se este tipo de operação se enquadra em seu perfil de risco.

Paulo Cunha, CEO da IHub Investimentos, destacou que para os clientes do escritório não é preciso se preocupar em fazer as ordens todas as vezes que Giba trocar as ações da sua carteira. Um sistema gera a ordem para o cliente, o qual se estiver de acordo aprova e as trocas são efetuadas de maneira simples.

Se você ficou curioso e deseja saber quais são as demais ações indicadas pelo analista, entre em contato através do formulário abaixo que teremos prazer em te contar.