Conheça o fundo imobiliário que está chamando atenção dos investidores: VILG11

Tempo de leitura

5 min

Tamanho da fonte

Aa

Aa

Aa

Em janeiro de 2022, a cotação mínima do VILG11 foi de R$93,49 e a máxima de R$107,03

Afinal, o que é o fundo imobiliário VILG11? Hoje em dia, o fundo conta com investimento em oito imóveis, que estão em quatro estados do Brasil. Ao todo, são mais de 195 mil m² de ABL (Área Bruta Locável).

Na prática, o fundo possui ativos localizados em Campinas, Jundiaí e Extrema. Também existem empreendimentos no Espírito Santo e no Rio Grande do Sul.

Além disso, os inquilinos são de grande porte. Entre eles estão as empresas Ambev e Netshoes. O fundo conta com grande diversificação de inquilinos, portanto, estão contemplados os segmentos de varejo, transporte, logística, alimentos e bebidas, entre outros.

Leia também: O que são FIIs e como investir?

Quanto custa uma cota do fundo imobiliário VILG11? 

O valor da cota do fundo imobiliário VILG11 teve uma forte variação em janeiro de 2022. Desta forma, ao longo do mês, a cota bateu a mínima de R$93,49 e chegou à máxima de R$107,03.

Com isso, o preço médio foi de R$100 no primeiro mês do ano. Por sua vez, no dia 31 de janeiro de 2022, o preço da cota ficou em  R$101,90.

Confira, abaixo, o desempenho do fundo imobiliário VILG11 no mês de janeiro:

Fonte: ProfitChart – XP Trader, gráfico diário do mês de Janeiro de 2022

Como funciona o fundo imobiliário VILG11? 

Antes de investir, é importante conhecer bem o fundo imobiliário VILG11. Em primeiro lugar, trata-se de um fundo com gestão ativa, que investe no segmento logístico.

Em geral, todo FII (Fundo de Investimento Imobiliário), por definição, é um condomínio de investimento fechado. Assim, ele possui uma quantidade de cotas predeterminada e um preço negociado em tempo real com listagem das negociações em bolsa de valores. 

Em outras palavras, em um fundo de investimento fechado, quando você quiser comprar ou vender uma participação neste fundo, precisa comprar ou vender de outra pessoa.

Leia também: Como investir em fundos imobiliários? 

Na prática: dicas antes de investir no fundo imobiliário VILG11

A primeira dica para quem quer investir no fundo imobiliário VILG11 é que, normalmente, um ativo com cotação em bolsa fica exposto a variações muito bruscas de preço ao longo do tempo. Portanto, comprar ou vender muito rápido as cotas ou se basear apenas em notícias ou no comportamento de massa ou influenciadores não é uma boa ideia e isso pode acarretar em perdas patrimoniais.

É sempre relevante estudar os fundamentos do fundo, o comportamento de seu preço no longo prazo e as atividades envolvidas em sua operação antes de tomar uma decisão de compra ou venda.

Porém, todo fundo que possui participação negociada em bolsa de valores deve ter transparência em seus números. Então, é recomendado consultar as informações de forma oficial.

O primeiro passo para isso é encontrar o respectivo site de Relação com Investidores (ou o popular RI) do fundo. Este é o canal oficial para divulgação de informações relevantes dos fundos listados na B3. Para localizar o site, basta pesquisar pelo nome do fundo, seguido do termo RI que na busca deverá aparecer o site do gestor e do administrador do fundo.

Para ter acesso ao site do RI do VIGL11 é só clicar aqui. Neste endereço, é possível saber quem é o administrador, qual a estratégia principal, qual a quantidade de cotas emitidas, qual o portfólio do fundo e quais as taxas de administração e performance. Confira, abaixo, as principais informações sobre esse FII. 

Atualmente, a carteira de ativos do fundo está distribuída da seguinte forma:

Fonte: Site Relação com Investidores Fundo Imobiliário Vinci Logística

Você sabia que todo FII tem um manual de regras? 

Além disso, todo fundo de investimento tem um regulamento, com o manual de regras do fundo, quais operações financeiras eles podem fazer, os planos de ação para o caso de problemas e os principais direitos e deveres de cada parte da estrutura do mesmo, além de algumas questões relacionadas a quais tipos de risco que ele está exposto. Este regulamento está no site.

Também é fundamental analisar dois outros locais dentro deste site: “Comunicados e Fatos Relevantes” e “Relatórios Mensais – Relatório de Desempenho Mensal”.

Na primeira área, é possível ver toda e qualquer movimentação relevante que aconteça em relação ao fundo. Quando há distribuição de dividendos, reunião de assembleia, mudança no estatuto, reavaliação dos ativos, novas aquisições ou vendas, informe de rendimentos e muitas outras informações. 

Já na segunda área, é por onde o fundo informa o mercado sobre seus principais resultados mensais. Para o investidor aqui é encontrado um resumo das atividades do fundo, comentários dos gestores sobre o período, suas expectativas, acompanhamento da infra de investimentos e como, em suma, será realizado a distribuição dos tão desejados dividendos.

Reserva de emergência

Por fim, a prioridade de todo investidor iniciante deve ser constituir uma reserva de emergência que seja coerente com seus custos de vida e seus riscos profissionais.  Só depois, é recomendado pautar o restante de seus investimentos em seus objetivos por seus respectivos prazos. 

Quanto mais longo o prazo para seus objetivos, maior a parcela de risco possível de se agregar ao portfólio. Fundos imobiliários (FIIs) são investimentos de risco e por esta razão é importante fazer essas considerações sobre sua composição antes de investir.

Desta forma, em conjunto com o VILG11, é possível realizar uma distribuição de acordo com uma carteira balanceada, que componha diversidade de risco e potencial alinhado com aquilo a que se destina o investimento. Uma carteira recomendada pode ser utilizada para te ajudar no momento de fazer a seleção.

Leia também: O que não deve ser feito com a reserva de emergência?

Estratégias de renda e valorização

Quando estiver buscando investir em um fundo imobiliário, é preciso ter em mente que existem duas formas de ganhar dinheiro:

  1. 1. Pela valorização do preço da cota;
  2. 2. Pelos dividendos que o fundo paga regularmente.

Um fundo pode ter cota relativamente cara, mas pagar bons dividendos, e daí seria interessante pela renda que ele gera, ou pagar pouco dividendo mas ter potencial de valorização das cotas.

O melhor dos mundos é quando o fundo tem uma boa geração de renda e sua cota está abaixo do valor patrimonial. Isso é mais difícil de encontrar, claro, porque é isso o que todo mundo deseja, porém, não é impossível.

Na estratégia de renda, o investidor está mais interessado nos dividendos que o fundo vai pagar. Geralmente, o preço da cota já está orbitando, ao menos, uma vez o valor patrimonial do fundo.

Na estratégia de valorização entende-se que a cota negociada em bolsa está barata então o investidor compra para obter lucro com a variação no preço da cota.

Abaixo, confira as carteiras recomendadas de FIIS das principais casas de análise.

Levante Corp:

Fonte: Levante Corp
Fonte: Levante Corp

XP Investimentos:

Fonte: XP Investimentos

Ficou com alguma dúvida sobre o fundo VILG11? Preencha o formulário abaixo, e um dos nossos especialistas vai entrar em contato com você para explicar!