Quanto rende R$1 milhão na poupança?

Tempo de leitura

4 min

Tamanho da fonte

Aa

Aa

Aa

Veja os rendimentos que essa opção de investimento proporciona

Com o cenário atual de aumento da inflação, é muito comum surgirem dúvidas por parte das pessoas de onde deixar seu próprio dinheiro sem perder o poder de compra, principalmente para quem tem um volume de capital maior. 

Para muitos, a princípio, investir R$1 milhão na poupança pode parecer uma boa opção de investimento, frente ao aumento da taxa básica de juros no Brasil.

Mas afinal, quanto rende R$1 milhão na poupança em 2022? Seria este o melhor investimento para quem deseja investir seu capital em um cenário de inflação? Entenda quais são esses rendimentos e conheça as alternativas mais rentáveis entre as variedades de ativos de renda fixa no contexto atual.

Como calcular o rendimento da poupança?

Recentemente, novas regras entraram em vigor para o rendimento da poupança no Brasil, considerando os depósitos a partir do dia 4 de maio de 2012. Assim, caso a Taxa Selic seja menor ou igual a 8,5% ao ano, a poupança tem rendimento de 70% da Taxa Selic + Taxa Referencial (TR). No entanto, com uma Selic maior que 8,5%, ela renderá 0,5% ao mês + TR.

A Taxa Referencial passou a ser utilizada no Brasil para o cálculo de rendimento da poupança no ano de 1964. O objetivo dessa taxa era de proteger da inflação a renda obtida em algumas modalidades de investimento. 

Esse fator de correção passou a ser divulgado diariamente pelo Banco Central na década de 1980, na época da hiperinflação.

Você também pode gostar: Como declarar investimentos no IR?

Quanto rende 1 milhão na poupança?

Considerando o valor da Taxa Selic atual em 11,75%, e seguindo a nova regra, o cálculo do rendimento da poupança é de 0,5% ao mês + TR. 

Por exemplo, o mês de fevereiro de 2022 teve uma Taxa Referencial igual a zero. Com uma aplicação de R$ 1 milhão na poupança, o rendimento em 30 dias tem o seguinte cenário:

  • Rendimento da poupança: 0,5% ao mês + Taxa Referencial (TR), com TR = 0. O retorno é de 0,5%;
  • Valor aplicado: R$ 1.000.000,00;
  • Nesse caso, o rendimento final de 30 dias é: R$ 1.000.000,00 x 0,5% = R$ 5.000,00.

Com um rendimento de R$5.000,00 em 30 dias, o investidor teria ao final do período um montante de R$1.005.000,00, desde que aplique R$1 milhão na poupança. 

Nesse contexto, o cálculo do rendimento da poupança anualizado (R) seria obtido com a seguinte fórmula, desconsiderando novos aportes: 

Sendo assim, o rendimento seria de aproximadamente 6,168% ao ano. Conforme divulgações mais recentes feitas pelo Banco Central (BCB), o retorno da poupança até 16 de março de 2022 era de 0,93%% ao ano, o que traria, seguindo a fórmula anterior, um rendimento de cerca de 7,776% anualizado.

Faça o seu cadastro agora em nossa plataforma Lounge, e tenha acesso a relatórios de análise, cursos e e-books que vão te ajudar a investir melhor. 

A poupança é um bom investimento no contexto atual?

Ao longo da história recente, o brasileiro enxergou o investimento na poupança como uma boa alternativa, principalmente em um contexto de hiperinflação no país que se viu nos anos 80 e 90, o que o fez ser um dos ativos mais tradicionais que são utilizados até hoje. 

Segundo dados do Banco Central (BCB), o Brasil possui um saldo total de quase R$1,013 trilhão alocados neste ativo financeiro atualmente.

Mas considerando o cenário econômico, e com a nova taxa Selic, outras opções se tornaram mais eficientes para rentabilizar o capital de reserva. 

Algumas dessas alternativas podem ser:

  • Tesouro Direto Selic; 
  • Certificados de Depósito Interbancário (CDB);
  • Letras de Crédito Imobiliário (LCI);
  • Letras de Crédito do Agronegócio (LCA);
  • Letras de Câmbio (LC). 

Sendo assim, quando esses ativos rendem 100% do CDI ou mais, já estarão trazendo um retorno maior que o da própria poupança. Com a taxa Selic em 11,75% ao ano, esse valor de rendimento é de cerca de 11,75% a.a.

O CDI é uma taxa que orbita a Selic, portanto se a taxa básica de juros está em 11,75%, o rendimento estará perto deste valor. Trazendo para um cenário concreto, caso você faça uma aplicação de R$1 milhão em uma modalidade que pague 100% do CDI, você terá o retorno final de próximo de R$9.300,00 com a atual Selic.

Onde investir R$1 milhão em 2022?

Quando se trata de um capital de sete dígitos, existem ainda outros ativos financeiros para diversificação de portfólio. Desse modo, 3 modalidades de renda fixa que podem ser melhores que investir R$ 1 milhão na poupança são:

  1. Títulos públicos: Letras Financeiras do Tesouro (LFT);
  2. Títulos de crédito bancário: CDBs, LCIs, LCAs e LCs;
  3. Títulos de crédito privado: CRAs, CRIs e Debêntures.

Dentre as diversas possibilidades que o mercado apresenta, a dúvida que fica é qual investimento escolher. Para isso, é preciso que cada um tenha conhecimento do seu perfil de investidor, além de considerar qual a sua necessidade e objetivo com aquele dinheiro aplicado.

Caso a necessidade do investidor seja liquidez, ou seja, poder resgatar o valor investido de maneira mais rápida para utilização, alguns títulos como CRAs e Debêntures podem não ser uma boa alternativa, já que em muitas ocasiões eles podem ter um prazo de vencimento de 10 anos.

Nesse caso, se o investidor tiver essa mesma necessidade de liquidez, colocar seu dinheiro em CDBs com liquidez diária, no Tesouro Direto Selic, ou ainda nos fundos DIs, terá um rendimento melhor do que investir seu R$1 milhão na poupança.

Sendo assim, durante a escolha de quais ativos financeiros são mais interessantes para investimento em renda fixa, é preciso que o investidor tenha conhecimento de cada um dos produtos que se tem no mercado, sabendo cada uma das suas características e alinhá-las à sua estratégia.

Ficou com alguma dúvida? Preencha o formulário abaixo, e um especialista da iHUB Investimentos, empresa parceira do iHUB Lounge, entrará em contato com você.