Taxa de investimento: o que você precisa saber sobre os custos de investimentos

Tempo de leitura

2 min

Tamanho da fonte

Aa

Aa

Aa

Você quer começar a investir ou já investe há algum tempo? Então você precisa conhecer tudo sobre a taxa de investimento

Além de conhecer cada uma delas, também é importante colocar tudo na ponta do lápis. Assim, você consegue saber com mais clareza quais são os melhores ativos para você.

Leia também: 3 tipos de investimento para você entender

Como existem diversos tipos de taxa de investimento, separamos para você as principais e mais significativas.

Confira:

Taxa de administração

Em geral, esse custo é para remunerar o administrador e o gestor do fundo de investimento. 

Entretanto, quanto menor o trabalho do gestor, mais baixo será o valor cobrado. Agora, se for algo mais complexo, com escolha de papéis, por exemplo, a taxa será um pouco mais alta.

Taxa de carregamento

Apesar de não ser uma cobrança muito comum, é importante conhecer esse tipo de taxa de investimento. Em suma, é uma taxa cobrada, na entrada ou saída, de alguns fundos de previdência.

Taxa de corretagem

Essa taxa de investimento é mais fácil de explicar. Quando você vende um imóvel, acaba tendo que pagar um corretor, certo? Aqui é a mesma coisa.

Ao investir em ações, você pode ter que pagar uma taxa no momento da compra ou da venda. Basicamente, é quanto vai custar a negociação.

Entretanto, quando o investidor usa o recurso home broker e escolhe os ativos que vai comprar, a taxa pode ser baixa ou nem existir.

Taxa de custódia

Neste caso, é cobrada uma taxa para manter a guarda e o controle dos ativos. A XP, por exemplo, não cobra taxa de custódia, mas se você investe no Tesouro Direto, pode ter que pagar este valor que é debitado diretamente da sua conta pela bolsa.

Em geral, a taxa é de apenas 0,25% ao ano, sobre o valor total aplicado. Apesar do índice, o pagamento é semestral, em janeiro e julho. Porém, quem aplica mais de R$10 mil no Tesouro não paga este valor.

Taxa de performance

Esta taxa também é cobrada, geralmente, para fundos, que têm uma meta, relacionada a algum índice. Caso este valor seja ultrapassado, você paga uma taxa relacionada à performance excedente.

IOF

O Imposto sobre Operações Financeiras é mais conhecido, principalmente por quem está acostumado a viajar e percebe que sobre os gastos feitos no cartão de crédito incide a cobrança do IOF. No caso dos investimentos, o valor é cobrado também quando a pessoa tira o dinheiro que investiu em menos de 30 dias.

Assim, se você investiu no Tesouro Direto ou em fundos de curto prazo, pode se deparar com esta taxa de investimento nestes casos.

Imposto de Renda

Por fim, mas não menos importante, está o Imposto de Renda. Sim, quem investe também tem que prestar contas ao leão.

Nestes casos, o valor do imposto sempre é calculado com base nos lucros. Só que você não precisa esperar chegar o dia da declaração para pagar, porque o recolhimento é feito na hora em que você vai resgatar os valores.

Além disso, quanto mais tempo o dinheiro fica investido, menores são as taxas, sobretudo no caso de títulos públicos e CDBs.

Ficou com alguma dúvida com relação às taxas de investimento? Nosso time está à disposição para esclarecer tudo, e você ainda pode ser um membro VIP na plataforma iHUB Lounge. O cadastro é gratuito, com acesso a ebooks e planilhas exclusivas!