Onde é possível investir com R$1.000,00?

Tempo de leitura

3 min

Tamanho da fonte

Aa

Aa

Aa

Entenda quais são as “aplicações mais baratas” e como começar a investir nelas

Para quem está interessado em começar a investir nos últimos meses do ano, é possível aplicar o dinheiro em opções de R$1.000,00.

O assessor de investimentos da iHUB Investimentos, Gian Montebro, explica que há opções mais rentáveis e são investimentos em renda variável.

Abaixo, ele lista 3 opções em que é possível investir com, até menos, de R$1.000,00:

  • Fundos de Investimentos Multimercado: Há fundos de investimentos que são agressivos e de casas reconhecidas. Com R$1.000,00 é possível aplicar, sendo uma boa alternativa para diversificar a carteira.
  • Fundos de Investimento em Ações: São mais indicados para objetivos de investimento de longo prazo.
  • Ações na bolsa de valores: É possível comprar ações de qualquer quantia, pois a B3 dá a possibilidade de adquirir uma ação no mercado fracionário,  entre 1 e 99 ações, justamente para atender os menores investidores.

Investimentos em renda variável, geralmente, são mais rentáveis, porém, também apresentam um risco maior para o investidor. Então, ao investir nessa categoria almejando um retorno maior, deve-se permanecer atento e buscar conselhos de um assessor de investimentos, pois não é possível prever a rentabilidade ao longo do tempo.

Leia também: Como investir em fundos imobiliários

Renda fixa é opção mais segura

Caso o investidor esteja preocupado com a volatilidade e busque mais proteção dos seus investimentos, é possível alocar a maior parte do montante – ou todo ele – em produtos de renda fixa. Fazendo aplicações em renda fixa, é pouco provável que o investidor não receba o capital investido com alguma rentabilidade, por menor que seja.

“Eu vejo como uma boa alternativa separar 50% do montante de um produto pré-fixado nas taxas atuais (aumentaram significativamente nos últimos seis meses), com prazo de um ou dois anos, e os outros 50% alocar em um fundo de investimento com resgate curto (D+1, D+2 ou D+3) para uma eventual emergência”, afirma Montebro.

Porém, alguns investimentos em renda fixa podem passar por oscilações no capital investido,  e o investidor precisa ter em mente o quanto de oscilação está sujeito a passar ao longo do tempo nesses casos.

Com a alta da Selic, vale a pena investir na poupança? 

A Selic, taxa básica de juros, é responsável por definir os juros do país, servindo como parâmetro para diversos setores da economia. Em momentos de alta na inflação, como o apresentado no Brasil neste ano, a Selic costuma ser elevada para frear o consumo e conter o avanço do crédito, impedindo que o cenário se agrave.

Com o aumento da Selic, muitas pessoas tendem a voltar a acreditar nos investimentos da poupança. Porém, o especialista não acredita que o momento seja benéfico para esse tipo de investimento.

“Mesmo com o aumento da Selic em 2021, saindo de 2% para 7,75% ao ano, a poupança – que é uma modalidade de investimento – continua sendo uma má ideia, visto que ela rende apenas 70% da taxa básica de juros (Selic). Com a inflação acumulada de quase 10% nos últimos 12 meses, a Selic mesmo subindo nesses níveis, faz com que a rentabilidade da poupança seja inferior à inflação”, comenta Montebro.

O primeiro passo para ter acesso aos investimentos considerados “mais acessíveis”, é deixar de investir em produtos de instituições financeiras e procurar uma corretora, uma vez que existe acesso a opções com menores taxas. 

Faça parte da nossa área VIP e tenha acesso a conteúdos gratuitos sobre investimentos, como planilhas, e-books e vídeos. É só clicar aqui!

É um erro aplicar todo o montante em apenas uma opção de investimento?

A diversificação da carteira de investimentos é sempre uma prática essencial na vida do investidor, mas aplicar os R$1.000,00 em apenas um produto, não é necessariamente um erro.

“Caso esses R$1.000,00 sejam só uma parte da reserva, e a pessoa esteja começando aos poucos a investir, não vejo como sendo problema começar a aplicar esse montante em um só produto. À medida que for aportando mais, é possível ir abrindo para outras frentes”, diz Gian. “Por outro lado, se esses R$1.000,00 forem tudo o que a pessoa tem no momento, não é aconselhável começar em só produto, o ideal é tentar dividir pelo menos em duas frentes”, finaliza.

Este conteúdo teve participação de Gian Montebro, assessor de investimentos da iHUB Investimentos.

*Disclaimer
A iHUB Lounge é um portal de conteúdo de investimentos e finanças. Toda e qualquer informação publicada é de cunho didático e informativo e não deve ser interpretada como recomendação de compra ou venda de determinado ativo. Toda decisão de investimento deve ser avaliada pelo próprio investidor que deve estar ciente de seus eventuais riscos de perda de patrimônio e volatilidade de mercado.

Para receber as melhores recomendações de investimentos, converse com um dos nossos assessores, é só preencher o formulário abaixo.